• Fernando Rodrigues

Vem Filhinho querido, temos um anjo chamado Su doida pra descansar.

Nos últimos dias a ansiedade tem estado tão grande que dá quase para apalpar. Lior completa 38 semanas dia 20/06/2019 e nesse dia, combinamos que ele vai nascer. Fica passando um filme na cabeça, sabe? Uma saga que teve seu prelúdio há mais de 20 anos quando eu e a Su éramos inseparáveis e costumávamos nos prometer amor eterno. Nossa amizade era envolta em sonhos e aventuras em acampamentos divertidos por aí. Na época eu não era assim tão fora do armário e ela reclamava comigo porque queria que eu fosse uma AMIGA pra ela, uma amiga bem feminina, ela dizia. Aliás duas coisas que ele sempre repetia: 1- Fer te solta! Eu queria que tu fosses tipo a Priscila Rainha do Deserto. 2- Fer, quando quiseres e precisares eu vou te ajudar a conseguires ter um filho.


Minha amor amiga! Obrigado por tudo!

Acho que nunca disse isso a Su, mas a forma como ela sempre me tratou fez com que me sentisse especial, me deu a sensação de que eu tinha alguém que me amava pelo o que sou e que mesmo que eu fosse me tornar depois a Priscila Rainha do Deserto ou qualquer outra coisa, ela estaria ali me valorizando e me fazendo me sentir confortável na minha própria pele. Ela era a voz de alento que me dizia justamente o contrário do que o mundo a vida inteira vociferava pra mim: Você precisa criar jeito de homem, ser mais masculino, ser mais agressivo. Su até se queixava às vezes, me achava meio bruto, pedia pra eu desmunhecar mais, pra eu ser mais espalhafatoso porque ela achava lindo e que isso não deveria ser vergonha pra ninguém. Ela me pegou um dia brincando de boneca e me contou só bem depois, gargalhando, disse que não me interrompeu porque achou fofo! Imagino ela lendo isso. Deve estar rindo e chorando como estou agora. Hoje não tenho grandes dicas para dar sobre os processos de adoção ou de barriga solidária. O texto dessa vez é um ato singelo de homenagem à mulher que tornou meu sonho de ter um filho possível, uma das primeiras pessoas que fez com que eu me sentisse confortável e seguro sendo quem quisesse, fosse eu o Fernando brigão da rua ou o Fernando Rainha do Deserto.


Como a Su queria que eu chegasse na maternidade!

Su, a sua maneira, sempre foi uma aliada LGBTx. No mês em que nasce meu filho celebramos também o mês do orgulho e é preciso relembrar e agradecer sempre todos os nossos aliados. Minha amiga Su, que é hétero, antes de ser minha barriga solidária, já nasceu assim especial. Alguém que simplesmente se ofende quando vê qualquer tipo de discriminação. Ela é a prova viva de que ninguém precisa ser gay para lutar por direitos igualitários. Ela sabe que uma família é composta acima de tudo de AMOR!


Bem, eu falava sobre um filme que se passa na minha cabeça, horas antes do meu filho nascer. Foram tantos os percalços, burocracias, viagens, remédios, exames. Tudo bem exaustivo às vezes, mas sabe quem estava sempre inabalável? A Su! Eu redescobri minha grande amiga nesses últimos meses, relembrei a força que ela tem e o poder de transformar realidades e de fazer com quem a gente acredite que no fim vai dar tudo certo! Somos dois sagitarianos inveterados e esse otimismo que ela extrapola foi a base de tudo nesses meses de gravidez!


Família da Su, sempre nos apoiou em tudo!

Su foi guerreira demais e até ontem quando ela sentiu algumas contrações pré-trabalho de parto ela me fez rir. Desesperada, ela ficava gritando pra eu ficar calmo e eu estava zen, mas ela queria mais calma ainda, enquanto gritava e uivava! Foi só um susto, Lior ainda não estava na hora de chegar. Nessa hora, o filme na minha cabeça avançou futuro adentro. Pensei nas perguntas que as pessoas me fazem, sobre suas dúvidas do processo de barriga solidária, sobre os receios e os mitos. Perguntam se eu tenho medo do preconceito o tempo todo, por exemplo, mas minha cabeça está presa agora no dia 20/06/2019, mas precisamente às 10:00 da manhã. Não consigo pensar em nada mais por hora, mas peço além de um bom parto pra Su que meu filho encontre uma amiga ou amigo pra chamar de Su nesse vida. Quem tem uma Su tem tudo! Que sorte a nossa!


Vem meu filhinho querido, eu mal posso esperar pra ver sua carinha e tenho certeza que já tem muita gente que te ama nesse mundão de Deus.

Sigo na esperança que nossa história inspire outras famílias e que teu nascimento traga uma mensagem de tolerância para o mundo. Ao nosso anjo Su fica aqui meu mais sincero obrigado, não só por ter carregado meu filho, mas por ter me ensinado sobre amor incondicional e sobre o quão importante na vida é poder encontrar alguém que faça com que a gente se sinta especial ao ponto de acreditar que podemos ser quem quisermos! Até mesmo Priscila a Rainha do Deserto =)


LOVE


Fernando

@umafamiliasim


1,292 visualizações1 comentário

©2019 by Uma família sim!. Proudly created with Wix.com